Nossos Links


Conversando ontem com um amigo, amante da boa literatura, ele disse algo que me fez vislumbrar uma cena maravilhosa. Ele disse: “Não entendo muito bem o inglês, mas, mesmo usando um dicionário eletrônico para decifrar as palavras mais difíceis, prefiro muito mais ler um texto no original, do que sua tradução no português. 
Há uma riqueza no sentido das palavras na língua original que se perde na tradução, por melhor que essa seja.”
À velocidade da luz, meus pensamentos foram disparados por essas afirmações em várias direções. Na primeira, veio um senso de grande perda, ao sentir que provavelmente nunca terei acesso a essa riqueza do sentido das Sagradas Escrituras por não conhecer o hebraico e o grego. Logo em seguida, porém, me veio outro pensamento e esse desfez todos os anteriores pela sua magnitude e beleza.
Perguntei ao meu amigo: “Quando Jesus voltar, ele vai usar qual idioma para falar conosco?” E aí, sem esperar resposta, eu mesmo completei: “Acho que ele vai usar a LÍNGUA ORIGINAL, a única que deu origem a todas as demais, a que realmente transmite tal riqueza de sentido que todas as outras empalidecerão diante dela!”

Ao refletir um pouco sobre como será esse nosso primeiro encontro com o Cristo glorificado, fiquei tão impressionado com a sublimidade dele que acrescentei: “Penso que quando ele disser: ‘Eu te amo’ nessa LÍNGUA ORIGINAL, nós não conseguiremos ficar de pé diante dele. Seremos inundados com tamanha força, pelo verdadeiro sentido dessas três palavras, que nosso pobre ser não aguentará o impacto e nos prostraremos diante dele em adoração. A diferença será tão grande entre aquilo que entendemos hoje e o que ouviremos naquele momento quanto a que existe entre um menu impresso e o prato saboroso de comida que ele representa.”
Isso aconteceu ontem. Até hoje sinto o efeito do despertamento dessa expectativa. Ai, que saudade da LÍNGUA ORIGINAL!

Paulo disse que foi arrebatado ao paraíso e ouviu “palavras inefáveis, as quais não é lícito ao homem referir” (2 Co 12.4).


Por Harold Walker

































Posted by Picasa
Amanhã é o grande dia, para alguns o melhor dia de sua vida, pela oportunidade de conhecer a Deus, para outros uma chance de se reconciliar com Aquele que um dia os chamou. E para TODOS nós, a oportunidade de nos preparar para o grande dia do Senhor.
A volta de Jesus é certa, não temos nem dia nem mês nem o ano, mas sabemos que é iminente a volta do Filho do Homem. 
Não perca mais o seu tempo brincando de ser cristão, é chegada a hora em que serão separados os bodes das ovelhas. O joio do trigo. Deus te chama, não para brincar, mas para algo muito maior do que você possa imaginar. 

 Buscai ao SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto.
Isaías 55:6


Faça ja sua incrisção.


Buscai ao SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto.
Isaías 55:6
Buscai ao SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto.
Isaías 55:6
Buscai ao SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto.
Isaías 55:6
Buscai ao SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto.
Isaías 55:6
Buscai ao SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto.
Isaías 55:6
 
O musical produzido pela First Baptist Church of Orlando (Primeira Igreja Batista de Orlando) na Flórida, nos Estados Unidos rapidamente se transformou em viral em todas as redes sociais.
O vídeo segue a linha da apologética com humor (risos) e oferece dura crítica à adoração e ao louvor nas igrejas de hoje.
Acusa o antropocentrismo nas letras das canções e o descolar das mesmas com a Verdade bíblica.
Aponta para a falta de compromisso das pessoas com a Obra do Senhor e a secularização da fé.
Em última instância, a performance descortina todo o sistema atual centrado na auto-ajuda, na mercantilização da fé e na absorção pela igreja dos preceitos da sociedade da conveniência.
 
 
Em “Uma Dica para Envelhecer com Graça” falamos sobre um dos maiores sinais vitais que é o intercâmbio entre o interior e o exterior. Podemos ser ainda jovens, em aparência física e em idade cronológica, e ao mesmo tempo estar morrendo lentamente por dentro. Para evitar esse estado deprimente, precisamos manter as portas e janelas do nosso interior sempre abertas para novidades.
Essa atividade vital pode ser chamada de COMUNICAÇÃO. Precisamos falar com outros sobre coisas que consideramos importantes e precisamos ouvir de outros o que eles consideram importantes. Nossa sociedade, mesmo cristã, é cheia de pessoas que falam e poucas que escutam. Segundo Henri Nouwen, palavras podem ser muros ao invés de pontes (Espaço para Deus). Só o fato de você conviver com muitas pessoas diariamente não significa que está protegido da solidão. Para haver verdadeira comunicação, é necessário uma via de duas mãos. Ambas as partes precisam falar e ser ouvidas.
Mas, se ficarmos só no nível da comunicação, podemos ainda nos sentir solitários. O coração do homem, de acordo com o Agostinho, tem um buraco do tamanho de Deus que nenhum ser humano consegue preencher. E é aí que entra um aspecto da genialidade de Deus. É possível, no meio da comunicação entre dois ou mais seres humanos, surgir a presença divina, de forma tão palpável que todos os interlocutores saem sentindo que tocaram em algo maior do que eles mesmos. Nesse caso, é verdade o que é dito sobre a sinergia – o todo é maior do que a soma das partes.
Quando duas pessoas se comunicam com sinceridade, no temor do Senhor, pode surgir a presença de uma terceira pessoa – o Espírito Santo. É a isso que Jesus se refere quando diz que, onde estivessem dois ou três reunidos no nome dele, ele estaria no meio deles. Dessa forma, sabemos que ocorreu COMUNHÃO quando no meio da comunicação sentimos a presença de Deus. Quando saímos de uma conversa ou de uma reunião, sentindo que ouvimos algo superior a nós mesmos e a nossos interlocutores, podemos ter certeza que Jesus esteve entre nós e que a comunhão do Espírito ocorreu. Isso é alimento da alma e dá sentido para nossa existência. Quando provamos isso por um período e depois passamos um tempo sem experimentar, começamos a nos sentir anêmicos espiritual e emocionalmente.
Mas sem o terceiro “C” os outros dois ficam infrutíferos. Mesmo que estejam em ação em nossas vidas, continuamos frustrados, sentindo que algo muito importante está faltando. A comunhão só chega no seu ápice quando produz COMUNIDADE. Não estou usando esse termo para me referir a uma grande casa comunitária onde todos vivem juntos, felizes para sempre. Estou usando esse termo para falar sobre ações concretas, práticas, que surgem como fruto da comunhão. À medida que pessoas desfrutam da comunhão, começam a surgir ideias, planos, projetos, propósitos.
A terceira pessoa no meio de nós não é uma pessoa de natureza apenas teórica ou romântica. Pelo contrário, é uma pessoa muito prática, a mais prática de todas, porque foi ele que fez todo o mundo material. Quando duas pessoas de sexos opostos se curtam, se amam, se apaixonam, não se contentam apenas com isso. Querem se casar, avançar, levar o relacionamento para outro nível. Quando pessoas se tornam amigas e desfrutam de muita alegria e criatividade em sua comunicação, logo surgem projetos para fazerem juntas e que podem envolver mais pessoas. Quanto mais gostosa for a comunhão, mais intenso é o desejo de tornar essa comunhão permanente e de expandi-la para abranger outras pessoas.

Por Harold Walker
Texto retirado do site: www.revistaimpacto.com.br

Todos os dias usamos mascaras...a verdade é que cansamos desse mundo, cansamos de sair, festar, beber, ficar, dormir, trabalhar, estudar, sair, festar, beber, ficar, dormir, trabalhar, estudar...Esse mundo cansa, esse mundo nos consome, esse mundo não tem mais salvação, cada dia, cada manhã ele fica pior e pior. Eu cansei, eu Decidi, quero minha vida diferente, quero realmente ter motivo pra acordar todas as manhãs e viver esse dia. EU quero ter um motivo maior pra estar aqui...E eu encontrei JESUS CRISTO, Ele é uma verdade que ninguém pode esconder, é pra um dia poder vê-lo face a face, que eu ainda estou aqui.
Divina Lúcia




 “Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.
Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos.
Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca.”
Is 53: 4-7
"Eu matei um homem, e esse mesmo homem, eu bati, cuspi, surrei, e mesmo depois de tudo isso, ele continuou a me amar, sempre do meu lado, sempre comigo, sempre!"
Irmãos, a paz do Senhor a todos!
Você já foi ofendido de forma tal que o fizesse querer abandonar tudo? Esquecer de tudo que você já viveu de bom? Sei lá, sumir, desaparecer...
Então, depois de ouvir a ofensa você diz: ISSO NUNCA ACONTECEU COMIGO, EU FUI MUITO OFENDIDO, NÃO QUERO MAIS SABER DISSO.
Pois então, um dia, você também agiu da mesma forma, e até pior, você não apenas ofendeu, você bateu, cuspiu, surrou, maltratou e até mesmo matou. E esse mesmo homem que você fez tudo isso, te perdoou, te livrou de toda condenação e da morte.
Quando Jesus estava lá, sofrendo aqueles maus tratos, antes de ir para cruz, era eu, era você, éramos nós quem estava o torturando. Fomos nós.
A igreja sempre fez isso com Deus, desde o inicio de tudo, com Adão, com Moisés e vários outros nomes na bíblia. O povo parece ter uma tendência a ofender Deus. As coisas apertam e ai: “não quero saber desse Deus. Chega de sofrer com esse Deus.” E mesmo assim Deus vai lá e diz: Meu filho, volta pra casa, volta pros meus braços, tenho saudade de ti filho amado, vem, vem da forma que estás, eu te perdôo, te limpo, te purifico, mas vem filho meu.
Irmãos me dá até vergonha de pensar nisso, sempre viramos as costas pra Deus, sempre o trocamos por outras coisas, por nossos sentimentos. Ouvimos falar de perdão, falamos coisas lindas sobre perdoar o próximo, que Deus ama a atitude daquele que perdoa, mas quando somos realmente feridos, nem sequer lembramos disso, fechamos olhos e ouvidos para o perdão, e passamos por cima de nossos ofensores.
Enquanto Jesus era crucificado, Ele orou a Deus, nosso Pai pedindo que fossem perdoados TODOS os pecados daqueles que estavam ali. E aquele “todos” nos inclui também. Sem contar que oramos assim também: “perdoa as nossas ofensas, assim como perdoamos a quem nos tem ofendido.”
Para e pensa um minuto irmãos:
pedimos para que sejamos perdoados da mesma forma que perdoamos, mas se nós não perdoamos, como seremos perdoados?
Perdoar não é uma opção, é mandamento. Deus não disse perdoa se sentir-se bem em fazer, mas disse PERDOA. Só isso, perdoar.
Mais direto que isso não tem como. Devemos perdoar, devemos procurar restaurar o que pode ter sido perdido em meio à ofensa. E não pode perdoar e dizer: não quero mais nem saber. É reparar o mal que foi gerado, é resolver o problema e buscar em Deus uma unidade novamente.
Então amados, parem, reflitam antes de agir no calor do momento de raiva, de ira. Acalmar e respirar pode ser a atitude mais correta a se tomar, depois vai e pede perdão.
E lembre-se, um dia você matou um homem e foi perdoado e ainda mais que perdoado, foi amado, abraçado, acolhido e chamado pra viver intimamente.

De maneira que pelo contrário deveis antes perdoar-lhe e consolá-lo, para que o tal não seja de modo algum devorado de demasiada tristeza.
E a quem perdoardes alguma coisa, também eu; porque, o que eu também perdoei, se é que tenho perdoado, por amor de vós o fiz na presença de Cristo; para que não sejamos vencidos por Satanás;
2 Coríntios 2:7 e 10


Meu Desejo

Quero ser verdadeiro,
me esvaziar de mim
Quero ser alguém,
meu orgulho deixar
Quero ser alguém, um dia
E tudo entregar,
meu Rei, meu Rei
Quero ser pleno,
ter um propósito em mim
Quero ter virtude,
minha mente purificar
Quero ser livre hoje
E tudo entregar ao Meu Rei

(Refrão)
Este é o meu desejo
Este é o meu prazer
Este é o meu desejo
Usa-me, Senhor

Quero ser verdadeiro
Me esvaziar de mim
E o meu coração,
queima por Ti
Minha vida é só para Ti...

... Tua vontade em mim.

(Refrão)

Em minha vida posso ver
Toma-me, eis-me aqui
Sei que há muito mais aqui dentro de mim
E não há o que fazer,
por Teu grande amor
Então dou minhas mãos
USA-ME

Letras Retirada: http://www.letras.com.br/clamor-pelas-nacoes/meu-desejo
Site: www.clamor.com.br/



“Foi o tempo em que homens mantinham suas casas e que as mulheres sabiam cozinhar...”

Paz e graça.
Para começar, não estou condenando ninguém, apenas lembrando como era diferente as coisas antigamente, e olha, ainda sou jovem, mas venho de uma vida bem parecida com o passado. Tempo em que crianças e jovens não ousavam levantar a voz contra os pais ou qualquer um que fosse mais velho. Quando crianças eram punidas quando mereciam, apenas o olhar falava o que era certo a se fazer, em que pedíamos benção todas as vezes que víamos alguém que conhecíamos.
Quando os homens assumiam suas responsabilidades de homem, que sustentava a sua casa com o suor de seu trabalho, que chegavam em suas casas cansado de trabalhar em prol de sua família. Quando as mulheres donas de casa sabiam cozinhar de verdade, comidas feitas em fogões a lenha e nos primeiros fogões a gás. Quando a TV não era o centro das atenções dentro de casa, quando a diversão não era apenas ficar por horas no vídeo game ou no computador.
Mas o que ouve pra que tudo isso mudasse? Onde ocorreu essa mudança? Onde estão os homens fortes e as mulheres sabias? Onde está o amor e respeito? Será que tudo isso acabou e não tem mais volta?
Bem, o que aconteceu pra toda essa mudança ocorrer não foi algo repentino, foi uma serie de acontecimentos que causou essa “modernidade” toda que vivemos hoje.
Tudo começa quando o homem passou a se ausentar de casa para satisfazer seus desejos e suas vontades, freqüentando prostibulos e bares, gastando todo o dinheiro que arduamente ganhou em seu trabalho e deixando de manter a sua casa, abrindo espaço para pensamentos femininos do tipo: Eu posso fazer melhor, eu posso cuidar da minha casa e educar meus filhos sozinha.
As mulheres vendo que os homens não valorizavam mais a pacata forma de vida familiar, decidiram então procurar um espaço em meio a sociedade, conseguindo cargos que até então apenas homens podiam ocupar. Abrindo ai a brecha do tamanho de um quarteirão para que o inimigo adentrasse em suas casas, com ataques direto na base, fazendo com que as crianças perdessem o referencial de homem, de pai, de exemplo e também o carinho e educação das mães, que agora já não estavam presentes em casa, pois estavam trabalhando duramente para sustentar seus filhos e também seus maridos.
Mas isso não é culpa das mulheres, eu não vejo o erro nelas, mas culpo a nós homens, que nos omitimos e forçamos a parte mais frágil a procurar ser mais forte, ser mais ousada a ocupar o espaço que não cabia a ela. Agora a realidade da nossa sociedade é assim, a mulher que sustenta, a mulher que manda, a mulher que se ausenta de casa. O homem que não consegue seu espaço de volta, o homem que se ausenta para desfrutar de seus prazeres e desejos.
Com isso, vemos vários jovens na rua e disparamos a dizer: “bando de marginais que não prestam, que não querem nada com nada”. A CULPA NÃO É SÓ DELES, quem os instruiu a trabalhar? Quem mostrou o certo e o errado? Quem educou? Quem? Ninguém, eles não tinham ninguém para mostrar as coisas dessa vida, não tem pai nem mãe. Há quem diga assim: “meu filho não me respeita, não me ouve, eu sempre cuidei bem, ensinei o que pude mas ele não da valor em nada”.
Uma vez eu ouvi um irmão compartilhar um testemunho de uma jovem que tinha pais batizados e membros da congregação, mas essa jovem estava com pensamentos trocados, ela não confiava em homem algum. E o irmão, conversava com os pais e não via nada de errado, aparentemente tudo estava correto na família, então ele decidiu conversar com a jovem particularmente sobre sua infância. E ela recordou de um episódio de sua vida. Contou que quando criança toda a família estava se divertindo em um clube familiar e ela e seu pai estavam brincando na piscina, ele pediu que ela pulasse, pois ele estaria lá para segura-la, ela confiava em seu pai e acreditava no que ele dizia. Daí, ela se jogou e ele saiu da frente deixando ela cair dentro da piscina, ele pegou ela no colo e lhe disse: isso é pra você aprender a nunca confiar no homem. Acharam o erro?
Valores perdidos, valores trocados, as pessoas não sabem mais o valor das coisas, na verdade nem mesmo de si.
Volta ainda tem, certo que não podemos entrar em guerra com as mulheres por espaço, até porque seria uma causa perdida, é indiscutível que elas sabem fazer muitos trabalhos melhor que nós homens, e sua educação, gentileza, cuidado faz com que o mercado de trabalho as procurem. Mas podemos sair em busca de melhorar nossas habilidades, conhecimentos, para então podermos pegar de volta o cargo de homem da casa, que sustenta, que é exemplo. E ai a mulher volta a ter confiança no homem novamente, pois vera a diferença nas atitudes, que não temos tido.
Temos que cumprir com “amar como Cristo amou a igreja”, dando nossas vidas em prol de nossa família. Passar a confiança para todos de nossas casas, mostrar em nós, a vida de Jesus. Ao ponto de nossos filhos e esposa olhar em nós e perceber que temos procurado seguir com o que Jesus nos ensinou.
Tenho orgulho por viver em meio a uma comunidade em que procuramos juntos, a melhor forma de viver, em nossas reuniões de homens, ensinamos e aprendemos o papel do homem cristão. Nas reuniões de mulheres, elas aprendem e ensinam o papel da mulher no lar e na sociedade. Não que as mulheres vão ficar só dentro de casa, se necessário for para o casal que a mulher tenha um emprego, legal, ela pode trabalhar, mas se não precisar, por que deixar ela ausente? Minha esposa e eu trabalhamos agora para que quando vierem os nossos filhos ela passe a cuidar deles enquanto eu, como homem, trabalhe para manter a minha família. Na nossa comunidade, temos exemplos de famílias que vivem assim, e vivem bem. Também temos mulheres que trabalham fora, mas reconhecem que a autoridade de casa é o marido.
Elas não são menos que os homens, nem são incapazes, elas são dignas de reconhecimento, pois elas enfrentam juntas com seus maridos todas as dificuldades, não atrás do homem, mas lado a lado, como um radar. Elas auxiliam em tudo que lhes for pedido.
Devemos então, procurar restaurar esses valores, que ficaram esquecidos pelo caminho, que simplesmente foram deixados de lado pela sociedade por achar que essa forma de vida era incompatível com os dias atuais. Discordo completamente disso, algumas coisas não podem ser deixadas de lado, e isso inclui o respeito, o amor pelo próximo, a comunhão entre outros irmãos. Uma igreja unida é mais forte, não adianta ter mega-templos sem uma alma arrependida. Dou mais valor em pequenos ministérios que procuram andar juntos, dia após dia, do que ver gigantes que não conhecem os “membros”.
Tais valores ainda podem ser restaurados. Precisamos preparar a geração vindoura para essa realidade, não deixar que o modernismo os convença de que está tudo certo, mas passar para eles a essência do evangelho, o amor natural, o doar-se para os necessitados. Ter comunhão com Deus e os irmãos. Ensinar desde cedo que existe um Deus, e que esse mesmo Deus, deseja unicamente ter intimidade conosco.
Deus não quer muita coisa, é só intimidade. É só entregar-se, Ele não pagou o preço de morte pra vivermos desgarrados por ai, mas para que pudéssemos confiar nEle, consultar antes de tomar iniciativas.

Irmãos, espero que a palavra não te traga conforto ou paz, mas sim desespero por mudança, que nos incomodemos com essas verdades.
Fiquem com Deus.

Posto que as nossas maldades testificam contra nós, ó SENHOR, age por amor do teu nome; porque as nossas rebeldias se multiplicaram; contra ti pecamos. Jeremias 14:7



Paz e Graças amados,
Hoje estou mais uma vez escrevendo com grande gratidão à Deus, por ter nos livrado da morte, da dor, de todo sofrimento.
Como já é de costume entre a família da minha esposa, nós gostamos de nos refugiar algumas vezes na fazenda de um tio dela, homem crente em Deus e batizado no Espírito. Já postei outra vez sobre a nossa ultima ida lá.
Mas desta vez irmãos ao invés de desfrutar de muitos momentos de alegria e descanso, provamos de dor, medo e milagres do nosso Deus Vivo.
Antes de chegar a casa do tio Santo, tem uma pequena ponte, e lá do outro tinha uma F1000 parada e uns cinco homens arrumando a ponte pra poder passar, pois no dia anterior um carro havia passado com toras de madeiras,causando buracos na ponte. E eles colocaram madeiras para poder passar por cima e ir embora. Quando chegamos lá, eles já estavam com esse trabalho por algum tempo. E ai eu estava de moto com o namorado da minha cunhada e no carro estava meu sogro, minha sogra, minha cunhada e minha esposa. Como havia espaço pra passar com a moto, nós entramos pra casa todos os passageiros do carro e nós na moto também. Meu sogro ficou pra ajudar a consertar a ponte.
E depois de muito tempo eu ouvi um barulho de carro próximo, pensei até que eles já teriam conseguido passar e estavam chegando em casa, pois de lá não tem como ver a ponte. E olhei, mas não tinha ninguém. Fiquei quieto com o pessoal conversando. E mais algum tempo depois chegam todos os homens que estavam lá, junto com meu sogro e o tio Santo, e aparentemente todos estavam bem, apenas cansados pelo trabalho. Na verdade irmãos, além do cansaço físico pelo trabalho na ponte, eles estavam cansados na luta pra não deixar o carro que meu sogro estava dentro cair no buraco. Eram mais ou menos uns 8 metros de profundidade. Quando nos contaram o que havia acontecido, as mulheres desesperaram, eu sai correndo pra abraçar meu sogro e chorando muito por imaginar o que poderia ter acontecido e fui olhar a situação do carro e como tudo aconteceu.
No fim da postagem tem as imagens do carro, que saiu apenas com alguns arranhões, e meu sogro, MEU SOGRO SAIU VIVO E SEM NENHUM MACHUCADO E GLORIFICANDO A DEUS PELO MILAGRE QUE ELE OPEROU NAQUELE LUGAR, eu chorava agradecido a Deus por tudo que estava acontecendo, pelo livramento que Ele deu ao meu sogro, varão da casa do Senhor, que anda com Cristo a mais de uma década. O homem que tenho como pai estava lá vivo, salvo, firme e forte, aquilo que aconteceu não conseguiu o abalar, ele se manteve de pé, adorando a Deus pela salvação que lhe tinha dado.
Ficamos nessa tensão das 14:00  às 19:00, até chegar um outro caminhão para remover o carro que estava no buraco. Tínhamos uma chegada prevista na cidade as 20:00hs. Mas na verdade, chegamos as 23:00. Ficamos atolados debaixo de chuva em um trecho que estão arrumando. O motorista do guincho que nos trazia pra cidade, vendo que o carro estava travado na lama, acelerava mais pra tentar sair por cima da plantação e desviar de onde tinha mais lama, e em uma dessas tentativas, o carro começou a andar em uma boa velocidade, ficamos contentes achando que finalmente sairíamos de lá quando de repente o carro virou em lateral batendo a traseira no acostamento do asfalto e nós que estávamos dentro do carro em cima do guincho sentíamos que seriamos arremessados pra longe de tão forte que foi a pancada. Mas graças a Deus irmãos, o carro estava bem seguro por Ele e ficamos em cima do guincho, seguros. Com isso, tivemos que esperar mais de uma hora até chegar o trator para nos tirar da lama até o asfalto. Depois de sair desse atoleiro entramos em mais um na frente, ainda bem que o trator ainda estava perto e já nos removeu até o asfalto pronto e podemos finalmente chegar a nossa casa. Essa foi a viagem mais demorada que fiz em toda a minha vida.
Mas graças ao nosso Deus Altíssimo, o Senhor da nossa Salvação, chegamos bem, sem nenhum arranhão em nossos corpos, e o carro saiu com apenas alguns arranhados leves na parte da porta que estava encostada nos galhos.
 Eu estou postando como testemunho esse milagre que Deus operou na vida do meu sogro, estou feliz por tudo que passamos, sabemos que tudo vem de Deus, e se isso aconteceu, é por que Ele sabe o que ta fazendo.
Fiquem com Deus...
“Não são as nossas palavras que mostram quem somos, mas nossas atitudes quem revelam nosso verdadeiro caráter.”



Para Visualizar a legenda clique "CC".



Ainda não fez sua inscrição no acampamento? Ta esperando o que? Entre em contato pelo email: antonydiego08@gmail.com que faremos sua ficha de inscrição.

Diante um tempo cada vez mais imediatista, perceber o que está acontecendo no mundo globalizado, é para uma pequena parte da população. A grande massa se preocupa com seu time de futebol preferido ou com próximo capitulo da novela.
A igreja adormecida busca a Deus em troca de favores, uma vida bem sucedida e se esconde do propósito pela qual foi fundada. A mídia cada vez mais manipulativa tenta anestesiar as noticias ruins e “sinais” com sucesso, sempre trazendo uma noticia boa logo após a noticia ruim. Dificilmente ficamos lembrando de catástrofes, pois logo após vem a novela ou o futebol.
Os sinais estão ai, terremotos, tsunamis, rumores de guerras, catástrofes, crises econômicas, mas para nós, isso não é importante, temos a tendência de se acostumar com ajuda da mídia e de achar tudo normal.
Em vez acelerar nossa expectativa,  tem nos deixados relativistas e mornos. Os comerciais apelam para o consumo e egocentrismo e distorção dos valores eternos.
“Sedes vigilantes” mais do que nunca, nos dias de hoje tem que ser levado a sério. Nunca neste século, e em toda historia se teve tantos acontecimentos em que devemos nos preocupar como igreja.
Desperta, desperta, veste-te da tua fortaleza, ó Sião; veste-te das tuas roupas formosas, ó Jerusalém, cidade santa, porque nunca mais entrará em ti nem incircunciso nem imundo. Isaías 52:1
Por isso diz: Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te esclarecerá. Efésios 5:14  
Nossa posição tem que mudar, pois falamos e cantamos que Jesus irá voltar, mas não nos comportamos como se fosse verdade. Assim como nos preparamos para o casamento ou a chegado de um filho, existe toda uma preparação e precauções para o dia marcado, mas no caso de sua volta não sabemos o dia e nem a hora. Paradigmas tem que cair e dificuldades tem que ser superadas na igreja.
Mateus 24:35-39 “E não o perceberam”. Não perceberam porque estavam ocupados com outros pensamentos, suas motivaçoe e razões  não encaixam na sua fé.
Se nossa fé não se baseia na espectativa de sua volta e o estabelecimento de seu reino, logo nossa fé é duvidosa e sem sentido.
O que será preciso para haver vigilância? Será que a tragédia terá que bater na nossa porta? O que será preciso o Senhor fazer para mudarmos nossas espectativas?
Até quando vamos nos esconder atraz de nossas “manhas” espirituais, nossos complexos de inferioridade e problemas emocionais?
Um câncer, uma morte ou um acidente é preciso para vermos o Senhor e concluirmos que somente Sua vontade é importante
Penso que nossa verdadeira indentidade fica escondida dentro de nós mesmos, atraz de forlalezas que nós contruimos.
Isaias 53:4-5 Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.
Nosso coração é como uma grande casa, cheia de quartos escuros, precisando do sol da justiça para iluminar a escuridão.
A obra de Deus é completa em nossas vidas, o Senhor não faz as coisas pela metade, do contrário, não seria Deus.
Efesios 1:3 Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo;


Escrito por: Hélio Jr.

Siga-nos por Email

Mais Lidos da Semana

Ocorreu um erro neste gadget
Romanos-8. Tecnologia do Blogger.